Pular para o conteúdo principal

Moças prendadas às mulheres modernas

                        Texto muito interessante.

Creditos Érrica torres

Costurar, cozinhar, bordar eram atividades imprescindíveis na vida de qualquer mulher nos anos 40, 50

A mulher moderna estuda, trabalha, faz hora extra e ainda arranja tempo para cuidar da casa e dos filhos. Ela é batalhadora, bota a mão na massa e preenche grande parte da mão de obra qualificada, exigida cada vez mais no mercado de trabalho. É perceptível a mudança de papel adquirida pela mulher ao longo dos anos. Esta constante falta de tempo e praticidade presentes no cotidiano deixaram de lado antigos costumes considerados fundamentais na vida de qualquer moça prendada. "Costurar, cozinhar, bordar eram atividades imprescindíveis na vida de qualquer mulher nos anos 40, 50. As moças precisavam estar preparadas para o casamento", conta a aposentada Enóe Lobão, 77 anos. 

"Quando era menina, com 13 anos, cursava o Colégio Estadual da Bahia e faziam parte do currículo escolar as aulas de Economia Doméstica. Aprendi, neste tempo, coisas como orçamento familiar de uma família padrão, a melhor forma de arrumar a casa, receitas saudáveis e boas para fazer em período de comemorações, como o Natal e o São João, além de dicas de moda sobre vestidos, sapatos e meias. Ao final do curso, fazíamos um álbum copiado à mão livre, com todas as informações ensinadas durante o ano. Nós gostávamos de ilustrá-lo com fotos recortadas de revistas e jornais. Inclusive, ilustrei meu álbum com uma foto do modelo do vestido que usei no meu casamento", lembra Enóe.  A aposentada explica que gostava muito do curso e utilizava constantemente o álbum com todas as dicas necessárias para ministrar uma família. "Uma pena a sociedade atual não dar valor a esse tipo de conhecimento muito útil, principalmente para os jovens, como eu que, na época, me casei e tive seis filhos", esclarece Enóe. A vovó de dez netinhos relembra a importância de um outro aprendizado tomado na Escola de Puericultura, isto é, dos cuidados que devem ser tomados com os bebês e as crianças. "A instituição estava localizada na praça do Campo Grande, próximo ao corredor da Vitória. Lá, uma equipe competente de enfermeiros ensinavam-nos como dar banho em recém-nascidos, como cortar as camisas de pagão, aquelas utilizadas logo após o nascimento da criança e como fazer os chamados cueiros, que são as cobertas para bebês", conta Enóe.Costurar também era um hábito muito comum naquela época. Diferentemente dos dias atuais, que temos a possibilidade de escolher entre tantas peças prontas e padronizadas, as mulheres precisavam fabricar e criar as próprias peças do guarda-roupa. A cidade de Salvador, assim como todas as outras do Brasil, possuíam uma variedade grande de lojas de tecidos para suportar a demanda. "Eu sempre comprava uma revista alemã, traduzida em português, chamada "Burda", era o maior guia de corte e costura dos anos 50. Ele trazia os modelos com todo o passo a passo necessário para a produção", explica. Com muito humor ela conta a história do dia em que precisou fazer uma camisa masculina. "Foi a peça mais difícil que já produzi. Uma camisa de manga, colarinho e dois bolsos para meu marido. Ganhei dele uma máquina de costura e em troca prometi fazer a peça. No fim das contas, não é que ficou bonita? Pelo menos, ele gostou, mas deu bastante trabalho e nunca mais me arrisquei novamente", lembra Enóe."Sabida mesmo é minha mãe", conta a aposentada com os olhos brilhando de orgulho. "Ela sempre esteve disposta a costurar roupas para mim e minhas irmãs que adorávamos sair para os bailes da época. Eram os vestidos mais belos da festa, não tenho dúvida disso. Minha mãe é muito cuidadosa e perfeccionista, quer tudo nos mínimos detalhes e já aproveitamos muito desta boa vontade". A disposição de Dona Marieta Lobão, 102 anos, é outra atualmente devido à idade, mas a memória continua lúcida como de menina. Ela respondeu com precisão algumas perguntas sobre estes hábitos femininos da sua época. 

"Em 1920, na cidade de Caetité, em que morava no interior da Bahia, eu tinha aula de prendas na escola. Comecei a costurar e bordar os almofadões de ponto de linha de seda no primário. Dona Beatriz Rodrigues Lima, ótima e reconhecida professora do sertão, me ensinou técnicas que nunca esqueci e me ajudaram muito", guarda na memória, dona Marieta. Ela conta que achava importante o curso, inclusive porque as mulheres que aprendiam esta atividade eram consideradas prendadas. "Depois que a civilização vai aumentando, as lojas vão ficando mais diversas, as pessoas vão encontrando peças prontas e diminuindo o trabalho da costureira. Isto é sinal de avanço. As lojas ficaram muito mais bem sortidas", conclui.  Hoje, dificilmente encontramos locais dedicados a ensinar estes tipos de curso. Geralmente, algumas instituições de Salvador promovem cursos temporários e voltados apenas para um tipo específico de produto. "Aprenda a fazer panetoni para o Natal, é um exemplo comum do que é oferecido nos cursos atuais. A pessoa fica limitada somente aquele determinado produto. Mas aqui é diferente, fazemos o que o aluno nos pede, cada aula é uma grande surpresa" explica Janete Costa Fernandes, 67 anos, professora há 40 anos de culinária da Escola Kate White, em Salvador. A Escola Doméstica, fundada em 15 de março de 1930 pela missinária norte-americana que deu nome a instituição, é a representação daquilo que era comum no passado, só que atualmente em versão moderna, com cursos voltados para profissionalização de pessoas. Os cursos oferecidos vão desde Arte Culinária, Decoração e Bolo, até Pintura em Tela e Corte e Costura. A novidade são os cursos de Telemarketing, Recepção Clínica com Faturamento de Convênios Médicos e Auxiliar Administrativo com Departamento Pessoal. Homens, mulheres e em alguns casos, até mesmo crianças podem participar das aulas. A instituição administrada pela Convenção Batista Baiana conta com cerca de 200 alunos com faixa etária bem diversificada. "Nós temos alunos dos 17 aos 60 anos. Tem muitas pessoas que agora estão vindo fazer o curso porque se aposentaram e então é a hora de se reciclar! Enquanto uns estão começando a aprender as novidades das culinária, outros estão retornando pra reaprender",  conta Janete. Mas pelas dificuldades enfrentadas atualmente na busca de emprego e necessidade de compor a renda familiar, os alunos em sua maioria, querem investir profissionalmente no curso. "O que percebo é que as pessoas que buscam o curso hoje, na maioria das vezes, pretendem se profissionalizar. Algumas perguntam quanto tempo o curso dura antes de fazer a matrícula, e se vão poder sair prontas para o mercado", explica a professora. De acordo com Janete, houve uma mudança radical ao longo dos anos. Ela conta que no passado quando ela era aluna da escola, as aulas eram voltadas apenas para mulheres. "Era quase um semi internato porque entravam moças pela manhã e só saiam a tarde. Aqui mesmo preparavam refeições e aprendiam tudo sobre Economia Doméstica. O curso de arte e culinária durava dois anos e na época ninguém tinha pressa, finaliza.
Antônio Carlos, 58 anos, aluno de pintura da escola conta que é suspeito para falar sobre a instituição. "Gosto muito daqui! Quando me aposentei, procurei alguma coisa para ocupar meu tempo e achei aqui na escola. As aulas são muito divertidas em matéria de higiene mental. Quando comecei não sabia pintar e, graças a Deus, hoje sei e inclusive, já vendo alguns quadros. É muito bom encontrar os colegas, trocar ideias com os professores que sempre nos ajudam. No final de todos os anos, acontece uma exposição aberta ao público, das 9h às 17h, com todos os trabalhos produzidos pelos alunos ao longo do curso", explica.
Outra aluna da escola, Eliene, 26 anos, cozinheira e secretária do lar, conta a sua expectativa para o curso de culinária que acaba de se matricular. "Quero começar com o básico sobre cozinha, se eu gostar depois de quatro meses quero continuar no curso. Minha vontade maior é aprender a fazer torta salgada". Já Ana Carla, 30 anos, faz o curso há cerca de quatro meses, ela também tem como objetivo principal se profissionalizar para melhorar e aprimorar o seu trabalho de secretária do lar. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vestidos Florais e o verão...

Bom dia A primavera está chegando, e com a temperatura mais alta os vestidos florais entram em cena. A estampa floral remete ao romântismo com muito colorido e cheios de vida. O verão é uma estação animada e colorida, por isso as grifes e marcas de vestidos apostam fortemente nessa tendência em suas coleções. No mercado estão disponíveis vários estilos de vestidos florais para o verão, desde curto até longo. Vestido floral curto: este modelo é ótimo para quem deseja sair durante o dia, mas, caso queira, poderá também ser utilizado durante o período noturno. O vestido realçará as suas pernas e a meia calça ou legging poderá ser uma opção de complementação. Existem inúmeras opções de calçados que poderão ser usado com vestidos florais curtos como: rasteirinhas, sandálias de salto baixo ou tênis. Vestido floral longo: Esta opção é perfeita para pessoas que não gostam muito de deixar as pernas amostra ou se expor muito. O vestido floral longo para o verão 2015 destac…

DIGA SIM PRA JESUS CRISTO, DIGA NÃO AO HALLOWEEN.

DEUTERONÔMIO 18:9 Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. 10 Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro;11 Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos;12 Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti.13 Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. APOCALIPSE 22: 14 Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. 15 Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.

Como colocar elastico em calcinhas.........

Gente eu só reeditei pois já tinha o postado bjos.